Pular para o conteúdo principal

Postagens

Escrevendo e vivendo

SOBREVIVENDO NA INDEPENDÊNCIA - CORRENDO 8 KM PARA ENSAIAR COM AS VELHAS

Ensaios para o 1º Disco - 1994

Em 1994 começamos a ensaiar para gravar o primeiro CD. Resolvemos juntar a grana, Paulão, Lips e eu, para pagar estúdio e o nosso produtor: O estreante Paulo Anhaia. O Caio não tinha como colaborar. Era o mais novo, com maiores dificuldades financeiras. Aliás, dificuldades financeiras é uma característica dessa banda. Lembro até hoje que o Paulão tinha (em se tratando do Paulão pode ser que tenha ainda) uma agenda onde ele anotava as dívidas que a banda contraiu com cada um e sei que uma parte desse primeiro disco não foi paga até hoje! Pra ter uma ideia das complicações daqueles tempos vou contar como eram os ensaios. O Lips morava numa casa em Guarulhos com uma edícula nos fundos e no alto. Um lugar pequeno, mas que cabia a banda e não atrapalhava ninguém. A gente podia deixar o equipamento todo montado. Eram amplificadores ruins, uma mesa de seis canais horrorosa e microfones péssimos. Enfim, tudo o que uma banda precisa para se manter eternamente na ga…

Últimas postagens

SOBREVIVENDO NA INDEPENDÊNCIA - ANOS 90 - UM GUITARRISTA MENOR DE IDADE

SOBREVIVENDO NA INDEPENDÊNCIA - Anos 90 – Perdemos um Guitarrista e uma Bailarina ao mesmo tempo

SOBREVIVENDO NA INDEPENDÊNCIA – Um baterista chamado “Lips Like Sugar” - Fim dos anos 80.

SOBREVIVENDO NA INDEPENDÊNCIA - O roubo de um pedal põe fim na banda. VELHAS ANOS 80

SOBREVIVENDO NA INDEPENDÊNCIA - GRAVAÇÕES RUINS E VOVÓ NO PALCO

SOBREVIVENDO NA INDEPENDÊNCIA - UMA GAROTA CHAMADA CYNTHIA, PRIMEIROS SHOWS E MUITOS BATERISTAS (ANOS 80)

SOBREVIVENDO NA INDEPENDÊNCIA - 1986 - Começo das Velhas Virgens e eu era um babaca arrogante

SOBREVIVENDO NA INDEPENDÊNCIA - MAIS DE 30 ANOS DE BANDA E AINDA ESTAMOS TOMANDO MAIS CERVEJA QUE REMÉDIO. ENTÃO FLUTUA!

SOBREVIVENDO NA INDEPENDÊNCIA - Siririca Baby no Paraguai e todo mundo no pelotão de fuzilamento

SOBREVIVENDO NA INDEPENDÊNCIA - Entre putas, hot-dogs e a morte